Metodologia STEAM na educação infantil

Ninguém pode negar que a cada dia que passa a tecnologia fica mais presente nas nossas atividades diárias. Já estamos tão habituados, que só percebemos nossa “dependência” quando, por algum motivo, ficamos sem.

Tendo isso em vista, novos educadores estão estimulando que a tecnologia faça parte das metodologias de ensino das crianças desde cedo. E assim, há alguns anos surgiu o método STEM – Science, Technology, Engeneering and Math que já vêm sendo utilizado por diversas escolas, principalmente nos Estados Unidos.

Recentemente um grupo de educadores, propôs que uma “competência” fosse acrescentada a essa linha de estudos fazendo com que o STEM seja substituído pelo STEAM, que sustenta as mesmas áreas do conhecimento anteriores, mas acrescenta a Arte como um fio que interliga as outras disciplinas. (Quem quiser conhecer mais sobre essa iniciativa, clique aqui)

2015 Lafayette College STEAM Camp held in Acopian Engineering Center. STEAM stands for Science, Technology Engineering, Arts, Mathematics. Professor Berkove teaches An alarm Circuit © chuck zovko / Zovko Photographic llc July 27, 2015

Os estudantes expostos a este método, se envolvem em soluções de problemas reais de forma multidisciplinar, através de atividades ligadas diretamente com a ciência, tecnologia, engenharia, artes e matemática. Os alunos aprendem a planejar, exercitam a tentativa e erro, a colaboração e a perseverança, lições muito úteis, independentemente da carreira que venham a seguir. Na educação tradicional, quando punimos o erro, podamos a criatividade. Na metodologia STEAM, o erro não é ignorado, mas o estudante é estimulado a reconhecê-lo e utilizá-lo como aprendizado. O método tem como objetivo fazer com que as crianças se questionem, observem, investiguem e reflitam sobre suas ideias. 

Esta proposta de ensino vai na contramão do modelo tradicional que estamos mais familiarizados. Isso é possível devido à tecnologia da informação e comunicação estar cada vez mais disponível no ambiente escolar e doméstico, permitindo que cada indivíduo tenha seu tempo de aprendizado. Através de ferramentas computacionais, os professores conseguem identificar os pontos fortes e fracos de cada aluno, permitindo a personalização do ensino. O que não significa que o estudante terá que aprender sozinho, mas sim em grupos com demandas e interesses semelhantes.

Rocky-Mountain-STEAM-Fest-Maker-Boulder-23rd-Studios-Photography-Boulder-20

Não foi fácil encontrar artigos para que eu pudesse me preparar para escrever este post, principalmente em português. Talvez o método seja tão novo, que não tenham muitas pessoas escrevendo a respeito.

De qualquer forma, segue a relação de artigos que encontrei:

Álbuns no Pinterest que já colecionam atividades que podemos aplicar com as crianças no dia a dia sobre o assunto:

Algumas escolas brasileiras que já utilizam (ou estão começando a utilizar) o método: Escola Villare, Colégio Bandeirantes, Colégio Ofélia Fonseca

1e3db66d85045c1788a741742b6d18a6

Assim como todas as outras metodologias, o STEAM tem muitos elogios, mas ainda gera dúvidas. É bem difícil encontrar materiais a respeito do método. Quem tiver mais informações a respeito, compartilhe! Tenho muito interesse em aprender mais sobre o método.

 

* As imagens deste post foram retiradas do Google

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s