Como fazer compras na Amazon

Eu sou super fã de compras online. Nos últimos anos quase 100% das compras que faço não preciso sair de casa. Até mesmo supermercado. Um dos sites que mais uso para fazer compras online quando vou para os Estados Unidos é a Amazon.com. Tem de tudo, os preços são bons, entregam dentro do prazo e é bastante simples.

Resolvi escrever esse artigo ensinando algumas dicas e truques de como fazer compras na Amazon depois que algumas amigas me fizeram a grande revelação que ficam perdidas dentro do site com tantas opções que aparecem de um mesmo produto (rs).

 

 

Como funciona

Primeiramente é preciso entender o conceito da loja. A Amazon.com (versão americana) é provavelmente uma das maiores lojas do mundo, sem praticamente ter nenhum produto físico no estoque, pois utilizam diversos fornecedores para venderem seus produtos. Dessa maneira eles conseguem ter os melhores preços e a maior diversidade de produtos.

Na hora de navegar pelos produtos, repare que alguns são vendidos pela própria Amazon, outros por vendedores terceiros mas enviados pela Amazon, e ainda tem alguns produtos que são vendidos e enviados por terceiros. A diferença, na prática, é de que a Amazon sempre cumpre com o prazo de entrega, geralmente tem fretes melhores e você acaba tendo mais informações sobre o andamento da entrega. De qualquer forma, os três modelos são confiáveis e nunca tive problema com nenhum.

Para comprar, é necessário fazer um cadastro na loja e vincular um cartão de crédito internacional. Apesar das entregas, geralmente, só serem feitas para os Estados Unidos, o cartão pode ser brasileiro.

Vá escolhendo seus produtos navegando pelas categorias (na lateral esquerda ou superior do site) ou usando a caixa de busca do site. Para adicionar os produtos no carrinho de compra, clique no botão “Add to cart”. Para finalizar a compra, entre no seu carrinho de compras e selecione o botão “Proceed to Checkout”, onde você vai poder escolher as opções de frete e estimar quanto vai custar sua compra total incluindo taxas e impostos. O preço total é informado na na última etapa da compra, depois que o site separar suas compras em diferentes números de pedidos, baseado na disponibilidade, vendedor e opção de frete.

A versão brasileira da loja por enquanto só vende livros digitais.

Usando a Wish List da Amazon.com

A lista de desejos da Amazon é universal, isso permite que você adicione produtos de qualquer website à sua lista de desejos da Amazon.com. É possível fazer isso através de um botão que você instala no seu navegador e quando encontrar alguma coisa que gostaria de ter, em qualquer site, basta clicar no botão para adicionar à Lista de desejos.

Eu tenho o hábito de alimentar minha Wish List da Amazon mesmo sem ter viagem marcada. Assim não corro o risco de esquecer nada do que eu esteja querendo e a família fica feliz, pois quando pedem sugestões de presentes de aniversário e/ou natal, é só eu mandar o link que eles vão encontrar diversas opções.

Dicas e Truques

  •  Produtos específicos. Quando quiser algo específico, de uma marca ou modelo, uma boa dica é comprar na Amazon, pois não é garantido que você vá achar nas lojas e pode perder muito tempo da viagem procurando.
  • Verifique se o seu hotel recebe encomendas e se há alguma taxa pra isso.
  • Confirme qual será o tempo de entrega dos produtos. E para evitar problemas, calcule o tempo para que cheguem no máximo até uns 3 dias antes de você ir embora.
  • Customer Reviews: Um bom termômetro para saber se o produto é bom ou não é ler as reviews. Aqui em casa sempre que estamos na dúvida de comprar algum produto, principalmente eletrônicos e mesmo que não seja pela Amazon, sempre damos uma olhada nas reviews do site.
  • É bom lembrar que compras pela internet tem cobrança de IOF (6,38%) e que o valor total a ser pago, na verdade é um mistério, já que a administradora do cartão sempre usa a taxa do dólar do dia do fechamento da fatura (e não do dia que você fez a compra).

Aproveitando promoções e liquidações nos Estados Unidos

Há algum tempo atrás publiquei um post sobre como utilizar cupons de desconto nos Estados Unidos, mas agora chegou a vez de contar pra vocês como economizar mesmo sem usar cupons. Com organização e planejamento é possível fazer uma viagem econômica aos Estados Unidos para se acabar em compras.

dollars_pocket_650

Conhecendo os Termos

Você sabe a diferença entre os termos Sale e Clearance?

Sale são os produtos em liquidação, o que significa que existe sazonalidade e data para começar e terminar. A liquidação pode acontecer devido a um feriado, ou outro motivo.. mas provalvemente o produto voltará ao preço original depois de um período.

Clearance significa “queima de estoque”. (Delícia!). Os preços são absurdamente baixos porque a loja precisa eliminar o estoque. Geralmente você encontra esses setores em Outlets e escondidos, lá no final da loja. Mas procure! Porque vale a pena (já compramos camisetas pro Gabriel por USD 0,49 na GAP). Porém, fique atento, às vezes o produto foi parar nessa categoria por conter alguma avaria, olhe o estado da peça com cuidado antes de comprar e se tiver dúvidas, pergunte para o vendedor, pois ele poderá te mostrar o defeito ou explicar que é só um produto de coleção passada. E se você estiver procurando tamanhos menores, como XS (PP) e maiores, como XL (GG), a chance de você se dar bem na seção do Clearance é ainda maior.

Christmas shopping

Feriados e Datas Especiais

Outra dica bem importante é aproveitar pra marcar sua viagem em datas especiais dos Estados Unidos. (Clique aqui para conferir o calendário).

Para movimentar a economia nos feriados do país, já é de costume ter liquidações especiais para aproveitar que a população não vai trabalhar e atraí-los para dentro das lojas. Os feriados “prolongados” são os que rendem melhores descontos. As lojas também aproveitam datas especiais como Valentine’s Day, dia das mães, dia dos pais, Halloween, Páscoa, pra fazer promoções. E os dias após estas datas são sempre bons pra comprar objetos de decorações que sobraram para os próximos anos.

Muitas vezes eu e minha família viajamos na noite do dia 25 de dezembro para chegar no dia 26 e ir direto para Outlets. Os descontos costumam ser tão bons quanto ao famoso Black Friday (que sempre cai na quarta sexta-feira de novembro).

june-blog-1080x675

Final das Estações

Quando as lojas começam a trocar as roupas de uma estação para outra é sinônimo de liquidação. E para nós brasileiros isso é ótimo, pois as estações nos Estados Unidos são inversas às do Brasil.

 

1363m

Lojas de Desconto

Outlets são estabelecimentos que comercializam produtos de temporadas anteriores de uma marca, geralmente com preços substancialmente menores. Geralmente esses estabelecimentos são shoppings que contêm diversas lojas. Em muitos estados dos Estados Unidos não existem impostos para comprar roupas, o que deixa os Outlets ainda mais atraentes. Antes de viajar, procure quais são os melhores Outlets no seu destino.

Se você quer ainda mais desconto, recomendo as lojas de departamento como a Ross, Tj Maxx, Marshalls, Burlington e Home Goods. São os outlets dos outlets. Elas que vendem roupas, utensílios domésticos, decoração, brinquedos e até alimentos de todas as marcas por um preço muito barato, mais barato até do que alguns outlets. São como grandes pontas de estoque, e recebem milhares de produtos de marcas famosas que acabam sobrando ou que saíram de linha, e de alguma forma precisam ser vendidas. Mas tem que ter paciência e tempo. As lojas são enormes, bagunçados, muitos produtos têm defeitos, mas pra quem quer preços baixos, vale muito a pena.

 

Resumindo: época certa do ano + cupons + outlets = mala cheia de compras gastando pouco e felicidade garantida. Yey!

Dicas (incríveis) para andar em Manhattan como um local

Manhattan é uma “cidade” relativamente fácil de andar. A ilha foi planejada fazendo com que as quadras (com excessão da região sul e o Harlem) sejam simétricas e com uma lógica bastante simples de entender e se orientar.

De qualquer maneira, reuni algumas dicas para facilitar ainda mais o tour pela cidade e fazer com que você conheça a ilha como ninguém.

Up-Mid-Down-Manhattan

1. Downtown x Midtown x Uptown: Manhattan é dividida em 3 grandes áreas: Downtown (região sul – abaixo da 14th Street), Midtown (entre a 14th Street e a 59th Street) e Uptown (norte da ilha – tudo acima da 59th Street). Acima da 110th Street é o Harlem.

2. Ruas e avenidas:

  • Qual é qual: As avenidas cortam a ilha nos sentidos Norte-Sul, enquanto as ruas cortam a ilha nos sentidos Leste-Oeste.
  • Nomenclatura: De maneira geral a nomenclatura das ruas e avenidas corresponde a uma numeração sequencial começando do lado Leste (E) para o lado Oeste (W) no caso das avenidas, e do lado Sul (S) ao lado Norte (N), no caso das ruas. Algumass avenidas do lado Leste (E) de Manhattan também têm nomes, além de números, são elas: Lexington, Park e Madison Avenue. Em Uptown, no lado Oeste (W) de Manhattan, as avenidas também tem nomes, são elas Columbus e Amsterdam Avenue. A Broadway é a única avenida que corta Manhattan na diagonal e não tem um número na nomenclatura.
  • “Zoneamento”: Ruas tendem a ser mais residenciais e avenidas, mais comerciais, embora isso não seja uma regra geral.

3. Decorando o nome das avenidas de uptown: Decore a frase “You can take a CAB back home Late PM” que facilita decorar o nome das ruas (do Oeste para o Leste): Columbus, Amsterdam, Broadway, Lexington, Park e Madison.

4. Sentido (mão) das ruas e avenidas:

  • Ruas: todas as ruas de números ímpar vão sentido Oeste (W) e as ruas de número par, vão para o Leste (E).
  • Avenidas: o sentido da mão das avenidas são alternados contando à partira da 1st Avenue até a 11th Avenue. Com excessão da 3rd Avenue que tem mão dupla até a 24th Street e depois se torna sentido Norte (N) até o final.

5. Numeração dos prédios:

  • Lados Oeste e Leste: a 5a Avenida define os lados Leste (E) e Oeste (W) da ilha, assim como o início da numeração das ruas para cada um dos lados das ruas. Quanto menor a numeração do prédio, mais próximo da 5a Avenida ele está localizado.
  • Nas ruas: os prédios com número ímpar, estão no lado Norte da rua e os pares, do lado Sul.
  • Nas avenidas: os prédios com número ímpar estão do lado Oeste (W) da avenida e os pares, do lado Leste (E). Quanto menor a numeração do prédio, mais próximo da região Sul ele está localizado.

6. Saber em qual quarteirão está localizado um prédio apenas pela numeração dele: essa é um pouco mais complicada, mas acredite… tem lógica, rs.

  • Para endereços do lado Oeste (W): Para os endereços cuja numeração contém mais de 3 dígitos, some o primeiro número da numeração do prédio à 5 para saber qual a avenida “de baixo” que cruza a rua. Por exemplo: O endereço que você tem que ir é 225 W 37th Street, se 2+5=7, então você já sabe que o prédio fica entre a 7th Avenue e a 8th Avenue.
  • Para endereços do lado Leste (E): Para os endereços cuja numeração contém mais de 3 dígitos, subtraia 5 do primeiro número da numeração do prédio para saber qual a avenida “de cima” que cruza a rua. Por exemplo: O endereço que você tem que ir é 150 E 18th Street, se 1-5=-4, então você já sabe que o prédio fica entre a 4rd Avenue e a 3rd Avenue.
  • Porque isso funciona? A cada quarteirão formado pelo cruzamento das avenidas com as ruas as numerações mudam em centenas. Por exemplo, no primeiro quarteirão à partir da 5th Avenue (seja pra qual lado for), a numeração dos prédios está entre 1 e 99, no segundo quarteirão, entre 100 e 199, no terceiro entre 200 e 299, e assim por diante.

7. Para se orientar no Central Park: Os postes de iluminação tem uma numeração gravada próximo à base. Ela representa a qual cruzamento de rua e avenida você estaria se ali fosse não fosse um parque.

The-Transit-App

Ok. Achou complicado, ou tá com preguiça, tem jeito também… Baixe o aplicativo Transit coloque o endereço de origem e destino e ele te dá diversas opções para chegar até onde você gostaria de ir. Pode optar por caminhada, ônibus, metrô, balsa e todas as combinações possíveis.

Usamos muito esse app por lá, pois além do caminho, ele mostra também quanto tempo demora para que o próximo ônibus ou trem do metrô chegue e com isso podemos escolher a melhor rota e meio para ir até nosso destino.

 

Dicas para Fazer o Enxoval de Bebê em NYC

Se colocar na ponta do lápis, (mesmo com o dólar a quase R$4,50 #todoschoram) sai mais barato viajar para o exterior para fazer as compras do enxoval do bebê do que comprar tudo no Brasil.

Acho Nova Iorque uma das melhores cidades para essa ocasião (apesar do imposto ser ligeiramente maior do que no estado da Flórida). A cidade oferece uma variedade enorme de lojas, que vão desde as maiores, de departamentos, até as grifes mais famosas. Além do mais, entre uma compra e outra é possível fazer passeios incríveis, comer em ótimos restaurantes e assistir peças de teatro, jogos e/ou shows à noite.

Para ajudar, criei uma relação de lojas (pra quem não quer gastar muito) que acredito que valem uma vista (claro que existem infinitas outras). Dividi em “categorias” para ficar mais fácil.

jersey-gardens-3

Os Outlets 

Jersey Gardens: A grande vantagem desse outlet é que fica há 30 minutos de Manhattan, é coberto (ótimo para os dias de muito frio e/ou chuva) e não paga imposto para roupas (demais produtos o imposto gira em torno de 7%). Não tem muitas grifes e alta costura, mas entre as 230 lojas, você encontra: Bed Bath and Beyond, Disney Store, Carter’s, Childrens Place, Century 21, Burlington, Marshalls, GAP, Motherhood Maternity, Gymboree, Kids Outlet, Kids Footlocker, Kidstown, Toys R Us, etc.

Na entrada no Outlet, vá até o quiosque do “Concierge Desk”, apresente o passaporte ou carteira de motorista brasileira e você receberá um livreto com descontos extras oferecidos pelas lojas.

O ônibus 111 sai do Port Authority na 42st todos os dias a partir das 8:15 da manhã em horários regulares até as 4:30 da tarde. A volta para Manhattan começa as 13:05 e vai até as 21:35 durante a semana, 22:06 aos sábados e 20:36 aos domingos. Confira todos os horários disponíveis.

Woodburry Premium Outlet: Esse outlet é maior do que o anterior (250 lojas), fica há cerca de 80 km de Manhattan, é à céu aberto e conta (além das lojas mais tradicionais) com grifes e marcas de alta costura, como, por exemplo Prada, Gucci, Carolina Herrera, Dolce&Gabbana, Escada, Fendi, Burberry, Hugo Boss, etc. Como o outlet fica ainda no estado de NY, existe um imposto de cerca de 9% em cima do valor de todas as compras.

Você também pode encontrar o livreto de descontos extras “VIP Coupon Book” no quiosque de informações do shopping, localizado no centro da praça de alimentação por US$10 (ou se inscrever no site do Premium Outlet e imprimir um voucher que dá direito à retirada do livreto sem custo). Para informações de como chegar, confira o site oficial do Outlet.

NY-Century-21

Lojas de Departamento

Century 21: Chegue cedo porque a partir das 10h lota e fica um pouco mais chato de ver tudo com calma. Tem que garimpar, mas é possível encontrar roupas de grife (ou não) com preços incríveis. Sua visita nessa loja é imprescindível. 1972 Broadway

Burlington Coat Factory: É uma mini versão da Century 21 (mas ainda assim, bem grande). O mix é super vasto e não dá para acreditar nos preços! Há também produtos como mamadeiras e outros acessórios para enxoval. 6th Av & 22th Street

Macy’s: O andar infantil é o último (lá em cima – se não mudaram, rs). Eles trabalham com várias marcas para o baby, da mais popular como Carter’s à tradicional Ralph Lauren e First Impressions. 151 West 34th Street

Target: Tem uma seção infantil que vende de roupas a brinquedos, passando por bebê conforto, carrinhos e tudo o mais que você pensar. Os preços são bons, mais barato que na Target só no Walmart. Harlem, 517 East 117th Street

Outras lojas (com preços mais salgados e grifes): Bloomingdale’sBergdorf Goodman, Saks Fifth Avenue

buy buy baby

As Lojas de Bebê na Cidade

Buy Buy BabyÉ um verdadeiro supermercado infantil (de dois andares) onde é possível encontrar várias marcas de todos os produtos. Vale a vista e provavelmente é de lá que você vai sair com várias sacolas rs. (O preço das roupinhas não é dos melhores). Chelsea, 270 7th Avenue

Babies’R’Us: Da rede de lojas do grupo Toys’R’Us (que tinha aquela loja na Times Square com roda gigante – e que fechou! #humpf) e vende de tudo para bebês, dá pra montar o enxoval inteiro de uma vez só (mas com tantas opções na cidade você não vai querer comprar tudo de uma vez). Union Square, 24-30 Union Square East

Giggle: Talvez seja uma das lojas de coisas para bebês mais procuradas de NYC, mas é muito fácil entrar e sair de lá em poucos minutos sem ver nada interessante pois acaba tendo poucas opções de cada produto. É onde tem mais opções moderninhas e eco-friendly do mercado. Várias endereços na cidade. Vários endereços.

Albee Baby Essa loja fica um pouco fora das rotas das compras mas é grande e você encontra diversos produtos e marcas. Você encontra muita coisa com preço excelente por se tratarem de modelos antigos e que estão na ponta de estoque. 715 Amsterdam Ave

Upper Breast Side: Loja focada em produtos para amamentação. Tudo para o conforto da mãe e do bebê para esse momento. 510 Amsterdam Avenue (84th Street) 

Outras lojas (com preços acessíveis, que se você tiver tempo e disposição vale a visita): American ApparelGymboreeThe Children’s PlaceZara KidsPottery Barn.

Outras lojas (com preços mais salgados e grifes): Armani JuniorLacoste KidsRalph Lauren Baby StoreTommy Hilfiger KidsHalf Pint CitizensPommeSprout San Francisco Children’s BoutiqueLucky WangSweet WillianToySpace.

baby gap

Outras Lojas com Sessão Infantil

H&M: Em Manhattan, você só vai encontrar a linha baby no andar superior da loja da 34st com a 7a Av.. É uma das melhores em preço e existem vários modelitos muito estilosos! 34 st & 7th Ave

GAP: A sessão Baby Gap é incrível. Vale a parada (se você já não tiver feito isso na visita ao Outlet). Na minha (humilde) opinião, os modelitos são mais bonitos do que os da Carter’s. Vários endereços.

Old Navy: Um pouco mais em conta do que as demais lojas (é do grupo Gap e Banana Republic). É possível encontrar diversas roupinhas (e sapatos) fofas custando menos de USD 10,00. Vale dar uma passada! Vários endereços.

ABC Carpet & Home: Loja linda de morrer para decoração do quarto do bebê/criança (e também outros cômodos da casa, rs). Tem também brinquedos, roupas e outros acessórios como mantas e roupas de cama. Flatiron District, 888 & 881 Broadway.

Outras lojas (com preços acessíveis, que se você tiver tempo e disposição vale a visita): American ApparelPottery Barn.

img_5955

Lojas Online

Amazon: A Amazon não cobra impostos para entrega, dependendo da onde voce está hospedado em Nova York, portanto vale muito a pena entrar no site e aproveitar os bons preços de alguns produtos.

Land of Nod: Tudo que você precisa para decorar o quarto do baby. Coisas bonitas e charmosas. A loja faz parte do grupo das lojas Crate and Barrel e CB2. #muitoamor

 

Listei também algumas dicas valiosas que vão otimizar tempo, esforço e dinheiro nas compras:

  • Use cupons de desconto! A maior parte das lojas aceita, e os descontos podem chegar a 50% ou mais. (Leia nosso post sobre como usar cupons de desconto dos Estados Unidos);
  • Comece o dia das compras nos Outlets e Lojas de Departamento;
  • Leve mala com rodinha para os Outlets para facilitar na hora de carregar as compras pelo shopping;
  • Para preços melhores, sempre comece pelo fundo das lojas – onde geralmente se encontra a arara de promoção;
  • Se você já sabe exatamente o que quer, compre online e mande entregar no local onde estiver hospedado – só tome cuidado com o prazo de entrega. Quase todas as lojas listadas acima também vendem online;
  • Quase todas as lojas de Manhattan tem serviço de entregar as sacolas no local de hospedagem. Basta pedir no caixa! Geralmente é cobrado de USD 3,00 a USD 8,00 por sacola. (Que provavelmente serão grandes e estarão cheias e pesadas, portanto vale a pena pra não ter que continuar o passeio carregando peso e volume pelo resto do dia);
  • Use sacos de fechamento à vaco para conseguir comprimir tudo e fazer caber na mala.

E você? Tem mais dicas sobre enxoval de bebê em NYC? Compartilha com a gente :D

Roteiro de 3 dias no Uruguai | Montevidéu e Punta del Este

Aproveitamos o feriado do dia 7 de Setembro para conhecer o Uruguai. Apesar de não ser um destino que estivesse na nossa listinha de desejo, sempre ouvimos falar muito bem do país. Surgiu a oportunidade e resolvemos ir.

O país é pequeno e fica espremido entre o Brasil e a Argentina. Ótima gastronomia e paisagem. Ficamos apenas 3 dias e conhecemos Montevidéu e Punta del Este.

Mercado_del_puerto_Fachada

Dia 1 – Montevidéu

A cidade é a capital do Uruguai e é localizada às margens do Rio de La Plata. Tem quase 2 milhões de habitantes mas com jeitinho de interior.

Fomos de TAM saindo de Guarulhos de manhã e desembarcamos no Aeroporto de Carrasco em Montevidéu quase na hora do almoço. Retiramos o carro que havíamos alugado e fomos par ao hotel deixar a mala. Fomos de taxi para o famoso Mercado del Puerto almoçar. Escolhemos o restaurante La Chacra e comemos o tradicional churrasco uruguaiano acompanhado de Medio y Medio, mistura de vinho branco com champagne. O lugar é bem pitoresco, vale a pena conhecer. Saindo de lá, fomos passear pela Ciudad Vieja (centro histórico) passear. Andamos até a região da Plaza Inedependencia, sede do governo, e do Teatro Solis.

O que não sabíamos, é que aos sábados, após o meio dia tudo fecha. Conclusão, encontramos ruas vazias, não muito bonitas e com uma frequência não muito legal (rs). A praça e o teatro são bonitos, mas sinceramente… nada demais. Acho que tínhamos uma expectativa bem alta em relação à realidade.

Então fomos passear na Rambla (rua que vai margeando o rio quase por toda a cidade), e voltamos para Pocitos para conhecer o bairro, região do nosso hotel. À noite, fomos conhecer o bar Copperia Mastra (uma cervejaria que vende 12 tipos de cervejas artesanais de produção própria), e o bar/restaurante Montevideo Brew House. Os dois lugares eram ótimos e super recomendamos.

Achamos a cidade bastante vazia para o tamanho e estrutura que ela tem. Sair á noite foi bem curioso, pois parecia que só tínhamos nós nos bares.

 

Los_Dedos_Punta

Dia 2 – Punta del Este

É o balneário mais chique e badalado do Uruguai nos dias de hoje. Tem mansões, condomínios de luxo, lojas de grife e bons restaurantes. O agito acontece na alta temporada. No inverno a cidade muda, fica vazia e muitos estabelecimentos não funcionam. Mesmo assim, vale a pena visitar.

Acordamos cedo e fomos de carro de Montevidéu para Punta del Este (130km pela Ruta Interbalnearia – IB). A viagem durou cerca de 1h30 e foi bem tranquila, a estrada é reta, sinalizada, sem buracos e o pedágio custa 280 Pesos (ida e volta). De qualquer forma, vale tomar muito cuidado com os motoristas uruguaios; eles são um tanto ousados (rs) e não dão seta para nada.

Chegando em Punta, passeamos pela Playa Mansa (de rio), Playa Brava (oceânica), tiramos fotos no tradicional monumento La Mano do escultor chileno Mario Irarrazabal e andamos pelo centro da cidade a pé, com direito a uma parada no Blas Rincon Gourmet para comer Medialunas (entende-se croissant). Fomos ao Casino Conrad. A entrada é gratuita e permitido apenas para maiores de 18 anos. O casino é bem legal. As apostas são feitas em notas de dólares e os prêmios em vouchers que você troca depois na saída.

Almoçamos no restaurante El Secreto, descansamos no mirante da Plazoleta Grã-Bretanha e já no fim da tarde, fomos para Punta Ballena para visitar a Casapueblo (nós e todos os outros milhares de brasileiros que estavam em Punda del Este), casa de verão do artista plástico Vilaró que atualmente hospeda uma galeria de arte, loja, museu, restaurante e hotel. Além da vista deslumbrante, poucos minutos antes de o sol se pôr, um poema feito pelo idealizador da casa ecoa pelas caixas de som do lugar lido pelo próprio Vilaró. O local fica a 13km do centro de Punta del Este, os ingressos custam US$ 8.

Voltamos para Montevidéu e saímos para jantar em um restaurante do bairro.

 

17241463329_8383c2d3aa_b

Dia 3 – Montevidéu

Nos permitimos curtir o feriado e acordar tarde. Tomamos café da manhã na confeitaria Amaretto e ficamos passeando a pé, sem rumo, pela região de Punta Carretas e Pocitos.

Por volta da hora do almoço, voltamos para o hotel para fazer check out, pegamos o carro e fomos para o Mercado Agricola de Montevideo – MAM. Foi uma grata surpresa, pois tínhamos nos preparado psicologicamente para algo semelhante ao Mercadão de São Paulo. Muito pelo contrário, o lugar é extremamente limpo, arejado, amplo, bonito e com ótimas lojinhas. Almoçamos massa caseira do restaurante La Pasta Dei Vila, e fomos para o aeroporto para voltar para São Paulo.

 

 

Considerações gerais da viagem:

– Montevidéu e Punta: Preparem os bolsos pois não é uma viagem barata. A comida é extremamente cara. Montevidéu é uma cidade legal, mas nada de extraordinário e com poucos pontos turísticos. É difícil achar táxi e também estacionamentos. Punta del Este valeu a visita. É bem bonito,limpo e organizado. Foi bom estar de carro para poder conhecer bem a cidade. Em ambas as cidades fomos extremamente bem atendidos e comemos muito bem.

– Aluguel do carro: Alugamos o carro para poder viajar para Punta del Este com mais calma. Podíamos ter alugado por apenas 2 dias, mas quando fizemos os orçamentos, sairia mais barato alugar o carro 1 dia a mais do que pagar o taxi do aeroporto para o hotel na chegada e depois novamente do hotel para o aeroporto para retirar o carro no dia seguinte. Utilizamos a empresa Avis e a reserva foi feita pelo rentalcars.com

– Hotel: Mérit Montevideo Apart & Suites. Ótima pedida. Limpo, quarto grande, boa localização, staff amigável, café da manhã bem simples, estacionamento (muito pequeno e apertado, mas tem) e com um mini mercado na esquina. Reserva feita pelo booking.com.

Trouxemos na mala: doce de leite LaPataia, vinho da bodega Bouza, Medio y Medio do Mercado del Puerto.